Clínica de radiologia em Cachoeiro é autuada por fazer exame com funcionária sem registro

Uma clínica de radiologia odontológica de Cachoeiro de Itapemirim, no sul do Estado, foi autuada pelo Conselho Regional de Técnicos em Radiologia por manter uma funcionária não habilitada realizando exame radiológico. O auto de infração foi lavrado no início da tarde de quarta-feira (02). O estabelecimento funciona no centro do município.

De acordo com o fiscal que fez a autuação, Josiel de Oliveira, a funcionária foi flagrada logo após realizar um exame de raio-x em uma paciente. "Abordei uma paciente que estava saindo da clínica e perguntei que tipo de exame ela tinha feito. Ela disse que era raio-x e eu perguntei quem havia feito. Ela indicou a funcionária que, ao ser questionada sobre a habilitação para realizar tal exame, começou a chorar por não ser habilitada. Registrei um auto de infração contra ela, por exercer a atividade sem registro, e contra a clínica, por acobertar a prática", contou.

Após fazer a autuação, o fiscal acionou a Polícia Militar, que levou a suspeita para prestar esclarecimentos na Delegacia Regional de Cachoeiro de Itapemirim. Josiel registrou um boletim de ocorrência sobre o fato.

"Ela alegou que fez aquilo, naquele momento, porque, como era hora do almoço, o radiologista estava almoçando. Ela disse que aquilo foi um fato isolado, mas não acreditei nessa versão. Certamente ela faz exames o dia inteiro e acabou sendo flagrada naquele momento. E mesmo que seja uma prática eventual, já é caracterizada como ilegal", destacou.

Segundo o fiscal, tanto a suspeita quanto o estabelecimento serão multados pelo Conselho. Os valores são de R$ 1.569,00 e R$ 5.945,00, respectivamente. Além disso, de acordo com Josiel, a funcionária poderá ser denunciada por ter cometido uma contravenção, exercendo uma função de forma ilegal.

O fiscal explica que, para realizar um exame radiológico, o profissional precisa ter formação técnica ou tecnóloga em radiologia ou ser médico radiologista. No entanto, segundo ele, tem sido comum encontrar clínicas onde o exame é feito por um funcionário sem habilitação.

"Alguns donos de clínicas optam por contratar uma secretária, que recebe um salário menor, ensina ela a fazer o exame e a colocar para trabalhar naquela função. Um técnico em radiologia recebe, em média, R$ 2 mil. Já uma secretária ganha cerca de R$ 800. Então acaba sendo mais barato fazer isso. Mas nós estamos fazendo a fiscalização, com base nas denúncias que recebemos, e temos encontrado diversos estabelecimentos, tanto no interior como na Grande Vitória, onde ocorre essa prática", ressaltou.

O outro lado

A administradora da clínica, que prefere não se identificar, negou que a funcionária estivesse realizando exame de raio-x e alegou que ela havia somente imprimido o exame para entregar à paciente. 

"Temos dois radiologistas na clínica, sendo que um trabalha de manhã e o outro à tarde. Ela atua somente no suporte, marcando os exames e ajudando o radiologista no que for preciso, seja entregando exame, colocando o colete no paciente, entre outras coisas. Mas ela não realiza os exames. No momento em que foi abordada, ela só estava entregando o resultado de um exame que havia sido feito dias antes", alegou.

Av. Jerônimo Monteiro, nº 240, Salas 1809-1810 - Edifício Rural Banck, Vitória-ES, 29010-002
Copyright 2014 CRTR-ES

Produzido por: Leonardo Marriel